Caixa Scarlett O'Hara

Caixa Scarlett O'Hara (filme E o Vento Levou)

           Desde sempre que o cinema consegue transmitir desejos, necessidades, emoções e contradições do homem e, deste modo, pela relação diferenciada que estabelece com o público, transforma cada nova obra numa possibilidade de crítica, análise ou simples espetáculo. Muitas das personagens são construídas para transmitirem o ponto de vista do roteirista, sendo por vezes de tal forma "real" que é quase impossível ficar-lhes indiferente. É este o caso da personagem Scarlett O’Hara de E o Vento Levou.
Esta personagem feminina concentra em si quase toda a ação e força, pois ao  mesmo tempo ela mostra-se mimada e meiga e também  forte ao passar por uma situação de literalmente de guerra . Assistir o filme  provoca uma reação imediata de atração, isto foi comprovado  num estudo realizado por Helen Taylor quando constatou-se que  E o vento Levou  é um objeto de culto para pessoas de diferentes gerações e nacionalidades.
 Scarlett O’Hara é uma personagem forte, com idéias próprias, (apesar de ser vista como uma "mimada" por todos) que ousa transgredir as regras e opor-se àquilo com que as outras mulheres daquele tempo compactuam e que mesmo assim não deixa de ser uma sulista americana. Após o acidente do pai a morte da mãe e se ver as voltas com uma guerra civil  Scarlett O’Hara mostrou-se ativa e assumiu a responsabilidade de sua família, é como se ela se transformasse no "homem da casa", ficando com uma posição equivalente à figura masculina.
Lutou pelo seu amor, mesmo não sabendo quem verdadeiramente amava. Por tudo o que foi exposto, considera-se que a representação da mulher,  perante este personagem, não pretende dar continuidade à visão tradicional, criticada pelas feministas, que mostra a mulher como fetiche e como um ser que existe na sombra do homem, mas exatamente o contrário, ou seja, a mulher é representada como um ser sexual, com desejos e vontades, que luta por aquilo em que acredita, apesar dos vários obstáculos que a sociedade lhe coloca. 





Caixa em mdf com toalhinha bordada e porta algodão de crochê, espaço para colocar esmaltes, lixas, alicates etc.




Receba nossas atualizações:

8 comentários :

  1. Olá Lizama
    Linda a caixa!
    Bjs
    Cirlei Bezerra

    ResponderExcluir
  2. Chiquetosa esta caixa amiga! Adorei...bjooo

    ResponderExcluir
  3. Olá Lizama,
    Creio que já estive por aqui hoje.
    Depois voltei ao Travessia e ao Gmail.
    Vi e li o seu comentário e fiquei emocionada.
    Voltei!
    Obrigada querida,
    Vamos nos seguindo e construindo um mundo melhor.
    Grande beijo.

    ResponderExcluir
  4. Gostei do seu blog e bom conteudo ja estou seguindo voce abraços
    http://blogandodemadrugada.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Nossaaa ,que coisa mais linda e delicada essa caixa,de extremo bom gosto...Parabéns

    ResponderExcluir
  6. Muito obrigada gentemmm!
    E fiquem a vontade, ok?

    ResponderExcluir
  7. Tatiana S. Almeida30 de junho de 2012 07:59

    Adorei o assunto, mulheres. Esse é tema da minha dissertação. Escrevo sobre mulheres executivas. Não me apresento como feminista para Academia, mas interpretativista. Escuto o objeto para compreender sua percepção perante os fatos.
    Sua interpretação de Scarlett O’Hara abrir saudade do “Vento Levou”. Revisitarei essa obra agora com outro olhar...

    ResponderExcluir
  8. Muito obrigada pela visita Tatiana.
    Você me deixou curiosa.
    Quais os livros que você está lendo para o embasamento teórico? quais os temas transversais?
    Bjs

    ResponderExcluir

"Não escrevo porque ?valha a pena?, mas porque me faz feliz, simplesmente." [ Lya Luft ]

Muito obrigado pela sua visita. Volte sempre.